Ministro diz que aborto e eutanásia deveriam ficar fora do novo Código Penal

O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2012 | 03h01

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse ontem que manteria no anteprojeto do novo Código Penal só as leis de natureza penal e não aquelas que envolvam crenças religiosas e convicções. Ele sinalizou que, se pudesse, excluiria do código temas como aborto e eutanásia, ao falar no Senado sobre a reforma. "Quanto mais enxuto for um código, melhor", explicou. Quanto aos temas penais, voltou a destacar a necessidade de evitar um excessivo aprisionamento, se mostrou contrário à revisão da maioridade penal e defendeu o endurecimento da lei seca. À sessão também compareceram agentes da PF em greve, que viravam as costas a Cardoso quando ele se manifestava.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.