Ministério inclui aborto na tabela do SUS

O Ministério da Saúde incluiu o aborto legal na tabela de remuneração do Sistema Único de Saúde (SUS). Isso foi feito para garantir o financiamento adequado do procedimento e por recomendação do Supremo Tribunal Federal (STF), segundo afirmou ao Estado o ministro da Saúde, Arthur Chioro. "O pagamento era feito dentro de um repasse global. A mudança traz mais transparência e permite a remuneração de toda a equipe de saúde envolvida."

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

24 Maio 2014 | 02h08

A partir da portaria publicada anteontem, serviços credenciados recebem o valor de R$ 443,40 para aborto nos casos permitidos em lei: gravidez resultante de estupro, quando traz risco para a mulher ou em casos de anencefalia. Até então, os serviços recebiam um valor fixo, independentemente da quantidade de atendimentos prestados.

O pagamento feito por reembolso, avalia o ministério, traz mais garantias e permite ainda maior transparência para análise dos dados. Fica mais simples identificar quantos procedimentos foram feitos em razão de anencefalia, de estupro ou de risco para a mulher. /L.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.