Clayton de Souza/AE
Clayton de Souza/AE

Mínima na capital chega a 11°C na tarde desta quarta-feira

Uma chuva de granizo com ventos fortes provocou estragos ontem no oeste do Estado

JULIANA DEODORO, O Estado de S.Paulo

26 Setembro 2012 | 03h12

A massa de ar polar que estava prevista para chegar nesta madrugada de quarta-feira, 26, a São Paulo derrubou a temperatura de tal forma que nem o sol do meio do dia deve esquentar o clima. A máxima registrada nesta quarta deve ser justamente a temperatura da madrugada que, segundo a Climatempo, chegaria a 18°C. A mínima será de 11°C.

Normalmente, a temperatura mínima do dia é registrada logo após o nascer do sol, quando ainda não deu tempo de esquentar, e a temperatura máxima, por volta das 15 horas. Nesta quarta-feira, no entanto, como a massa de ar polar responsável pelo frio está chegando ao Estado, a temperatura vai cair gradativamente ao longo do dia. "À medida que o ar frio vai entrando, a temperatura vai diminuindo. Isso é comum, mas curioso", diz o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Franco Villela.

Segundo Villela, para agravar a queda da temperatura, o dia terá ventos moderados. "Apesar de os termômetros não marcarem menos do que 11ºC, à tarde, as pessoas podem chegar a sentir 8ºC, por causa dos ventos."

Além de São Paulo, Rio e o sul de Minas também sofrerão com a queda repentina da temperatura. Segundo André Madeira, meteorologista da Climatempo, o frio permanecerá até o fim de semana. E, no interior do Estado, ele será ainda mais intenso do que na capital. "São Paulo terá alguma nebulosidade no fim de semana, o que não ocorrerá no interior do Estado. Noites de tempo aberto favorecem a queda da temperatura."

Apesar disso, a umidade, segundo Madeira, não deve ser preocupante na capital. "Ela ficará alta até o fim de semana."

Granizo. Com ventania e pedras do tamanho de limões, uma chuva de granizo que durou meia hora danificou cerca de cem casas e pelo menos 50 carros na madrugada de ontem em Emilianópolis, no extremo oeste paulista. Telhados de casas desabaram e árvores foram destruídas. Cerca de cem famílias vão passar os próximos dias no centro comunitário da cidade. A Defesa Civil ainda não contabilizou o prejuízo, segundo a prefeitura. A chuva também causou estragos em Sandovalina, na mesma região, onde foi decretado estado de emergência. Em um dos bairros, o Assentamento Guarani, aves morreram atingidas pelas pedras de gelo. / COLABOROU SANDRO VILLAR, ESPECIAL PARA O ESTADO

Mais conteúdo sobre:
previsão do tempo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.