Minhocão recebe canaletas para evitar alagamentos e interdições

Tubulações vão captar a água da chuva e levá-la para as galerias pluviais. Via costuma ficar fechada em dias de temporal

Luísa Alcalde, O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2011 | 00h00

Os 92 pilares de sustentação ao longo dos 1.236 metros do Elevado Costa e Silva, o Minhocão, na região central, estão recebendo canaletas. As tubulações vão captar a água da chuva que se acumula nas pistas e escorre, por meio de furos nas laterais de concreto, nos carros e pedestres que estão na Rua Amaral Gurgel, embaixo da estrutura inaugurada em 1971 que o prefeito Gilberto Kassab (DEM) planeja demolir.

Com a obra, a Prefeitura também pretende solucionar os problemas de alagamentos nas pistas do elevado em dias de chuva, quando não é raro a via ficar interditada. As obras começaram em novembro e devem ser concluídas neste mês. A intervenção vai custar quase R$ 1 milhão.

De acordo com a administração municipal, a instalação das canaletas faz parte das obras de manutenção do elevado. A intervenção compreende a recuperação estrutural dos pilares, a retirada de manchas, a lavagem dos pilares por hidrojateamento e a pintura. A área totaliza 15.442 m2.

Nos 92 pilares estão localizados os ramais de drenagem do elevado que serão desobstruídos. As obras incluem a colocação de tubulação para conduzir as águas pluviais da pista para caixas coletoras subterrâneas, responsáveis pela distribuição das águas para as galerias.

O engenheiro Júlio Cerqueira César Neto, do Instituto de Engenharia (IE), não vê problemas em o poder público aperfeiçoar a drenagem da via mesmo com os planos de demolição. "Se um dia optarem por demolir, o valor não é tão relevante porque esse tipo de intervenção, de manutenção, não é tão cara assim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.