LUCAS LACAZ RUIZ
LUCAS LACAZ RUIZ

Mineradora estanca vazamento em barragem próxima ao Rio Paraíba do Sul

Acidente deixou mais de 500 mil pessoas sem água em São José dos Campos; rio abastece cidades de SP, RJ e MG

Gerson Monteiro, Especial para o Estado

07 Fevereiro 2016 | 19h20

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) segue monitorando a qualidade da água do rio Paraíba do Sul região da barragem que se rompeu na sexta-feira passada, 5, em Jacareí. A mineradora terminou na tarde deste sábado, 6, o reparo no talude.

O acidente foi provocado pelo armazenamento irregular de rejeitos de mineração de areia pela empresa Rolando Comércio de Areia Ltda e deixou mais de 500 mil moradores de São José dos Campos sem água por dois dias. 

De acordo com a análise parcial realizada pela Cetesb, na água captada antes e depois da barragem foram encontrados valores acentuados para alumínio e ferro, além das alterações de turbidez.Segundo a agência, os metais encontrados não oferecem riscos à fauna aquática e à saúde humana.

Com o índice de turbidez alto, a Sabesp, empresa responsável pelo saneamento básico em diversas cidades do Vale do Paraíba, interrompeu o tratamento de água na sexta-feira logo após o acidente, deixando mais de 500 mil pessoas sem água em São José dos Campos. O abastecimento só voltou ao normal em toda a cidade na manhã deste domingo, 7.

As cidades de Taubaté e Pindamonhangaba ficaram sexta e sábado sob alerta de ter que também interromper os serviços de abastecimento devido ao comprometimento da qualidade da água do Paraíba do Sul. O risco só foi descartado no fim da tarde de sábado.

O lançamento irregular dos rejeitos da mineradora em uma lagoa próxima ao Rio Paraíba do Sul, de propriedade da mineradora Meia Lua 1, provocou a elevação de seu nível e levou ao rompimento da barragem.

Ambas as empresas têm licenças ambientais da Cetesb, porém a dona da lagoa onde estavam armazenados os rejeitos está em processo de renovação de licença e portanto com suas atividades paralisadas.

Desde o acidente, nenhum representante Rolando foi localizado para comentar o caso. A mineradora não tem qualquer autorização para o depósito do material no local, segundo a Cetesb.

A agência não sabe precisar qual o volume de rejeitos que atingiu o Paraíba do Sul e após o feriado de carnaval definirá as multas que serão aplicadas. A prefeitura de Jacareí informou ter multado a mineradora Rolando em R$ 11 mil pelo descumprimento da legislação municipal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.