Militar integrou missão de paz brasileira no Haiti

O sargento Jucelino de Souza Dias estava no Exército havia 20 anos. "Ele serviu em 2007 na missão de paz no Haiti", disse o pai do militar, Jorge da Silva Dias, de 66 anos, que na delegacia usava um boné da Organização das Nações Unidas (ONU), responsável pela operação. O Brasil comanda a Missão da ONU para a Estabilização do Haiti (Minustah) desde 2004. O grupo tem a função de restabelecer a segurança no país.

O Estado de S.Paulo

28 Dezembro 2011 | 03h04

Dias servia no 4º Batalhão de Infantaria Leve (BIL) de Quitaúna, em Osasco, mas atualmente trabalhava como motorista do Comando Militar do Sudeste, no Ibirapuera. Era casado e deixou sete filhos, entre 1 e 15 anos.

O detetive Roberto Souza, de 38 anos, disse que seu primo era calmo. O sargento dava carona havia três anos para os vizinhos que testemunharam o crime.

Segundo a major Márcia Maciel, do 33º Batalhão da Polícia Militar (Carapicuíba), o PM Adilson Luiz de Oliveira trabalha como guarda do quartel do Comando de Policiamento de Área Metropolitano 8 em Osasco, na Grande São Paulo. / G.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.