Milhares fazem 'Dia da Vaia' contra Lula na Paulista

Com roupas pretas e nariz de palhaço, multidão chama presidente de ladrão e pede impeachment

Fabrício Migues, do Estadão,

04 de agosto de 2007 | 14h56

Milhares de pessoas, a maioria vestida de preto e usando nariz de palhaço, se reuniram no início da tarde deste sábado, 4, na esquina da Avenida Paulista com a Rua Pamplona, em São Paulo, para protestar contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A passeata ocorre simultaneamente no Rio de Janeiro, em Brasília, em Belo Horizonte e em Porto Alegre. A manifestação, organizada por um grupo de aproximadamente 20 pessoas, começou por volta das 14 horas, quando todos cantaram, juntos, erguendo as mãos para cima, o Hino Nacional. Depois da abertura, foi feito um minuto de silêncio para as vítimas dos acidentes aéreos com aviões da Gol e da TAM, ocorridos, respectivamente, em setembro do ano passado e em julho deste ano.   Entre os manifestantes, cartazes chamavam Lula de ladrão, pediam o impeachment do presidente e o fim da corrupção. Faixas também faziam menções aos episódios recentes em que o presidente foi vaiado em locais públicos, com frases como "relaxa e vaia" e "vaia de novo, com a força do povo". O advogado Ricardo Salles, de 32 anos, ligado ao movimento Endireita Brasil, que apóia a manifestação, disse que o que o motiva a participar do ato é a "indignação contra a "podridão na política". "O Lula está saindo muito pior que o Collor e qualquer outro. Os protestos são importantes porque mostram à classe política que a população está indignada e que o grau da corrupção está chegando ao limite", afirmou. O engenheiro Airton Teixeira, de 49 anos, disse que sua motivação em aderir ao protesto é a "incapacidade do presidente em governar o País, além a corrupção".  Representantes do setor aéreo também estavam presentes na manifestação. O diretor da Associação de Aeronautas e Aeroviários do Brasil (Aerovasp), Pedro Ricardo Carvalho, que foi comandante da Vasp e tem 55 anos, disse que decidiu participar do protesto por causa do "descalabro em que se encontra o Brasil". "A gente só ouve falar em propina e tudo cai em cima do PT", disse ele. O destino final dos manifestantes é o Parque do Ibirapuera. (Colaborou Deise Vieira de Souza, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
protestoAvenida Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.