Divulgação| CPTM
Divulgação| CPTM

'Meus filhos ficaram lisonjeados', diz agente da CPTM que ajudou em parto

Após o caso curioso, Simone Lucarelli se emocionou ao lembrar dos próprios filhos

Rafael Pezzo, O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2016 | 14h55

Simone Cristina Glavina Lucarelli, de 38 anos, teve papel fundamental no parto do pequeno Ezequiel, nascido neste sábado, 15, no banheiro da Estação Engenheiro Manoel Feio, da Linha 12-safira, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo. A agente operacional ficou para auxiliar a enfermeira anônima no socorro de Daiane Pereira de Lima, de 22 anos. 

"Estava para sair para o intervalo de almoço quando os outros funcionários vieram me chamar porque a moça estava entrando em trabalho de parto", relata Simone. "Quando cheguei com a enfermeira, o bebê já estava coroando. Mas tudo correu bem, a criança nasceu bem e a mãe não teve problemas."

Simone afirma que o foco durante o parto era ajudar Daiane, mas que não conteve a emoção quando tudo passou. "Na hora que você está ali ajudando, a adrenalina vai lá em cima. Você quer ajudar. Depois que o momento passa, você para e pensa: 'O que aconteceu?' A emoção vem depois. E eu, que sou mãe, lembrei dos meus filhos." Lucarelli é mãe de duas meninas, de 20 e 18 anos, e um garoto de 12. 

O incidente causou comoção na casa de Simone, que foi muito elogiada pelos filhos. "Minha mais velha disse: 'Que coisa linda!' Eles ficaram lisonjeados com a mãe. Meu marido também ficou muito orgulhoso de mim."

Assim como os outros funcionários da Estação Manoel Feio, a agente ainda não teve contato com Daiane e Ezequiel. "Mas ela disse que, assim que o menino crescesse e ficasse mais forte, ela o traria aqui para."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.