Divulgação
Divulgação

Metroviários decidem nesta quarta-feira se mantêm greve prevista para amanhã

Audiência de conciliação entre o sindicato e a companhia, nessa terça-feira, resultou na decisão de que a empresa reapresentará, em 20 dias, propostas trabalhistas para a categoria

Caio do Valle - O Estado de S.Paulo,

03 Outubro 2012 | 03h03

São Paulo - Metroviários decidirão, em assembleia realizada na noite desta quarta-feira, 3, no Tatuapé, zona leste de São Paulo, se aceitam a sugestão da desembargadora Rilma Aparecida Hemetério, do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, para que não haja greve. A paralisação estava sinalizada para amanhã.

Uma audiência de conciliação entre o Sindicato dos Metroviários e o Metrô nessa terça-feira culminou na decisão de que a empresa reapresentará, em 20 dias, propostas trabalhistas para a categoria.

A tendência é que a diretoria da entidade oriente a categoria a suspender a greve. Isso para que não haja conflito com a própria Justiça, que prevê pena de R$ 100 mil por dia em caso de paralisação geral.

A última paralisação do Metrô aconteceu em 23 de maio por motivos relacionados à atual pauta de reivindicações. Os metroviários exigem o pagamento da participação dos lucros e resultados em fevereiro em vez de abril, melhorarias na jornada de trabalho e equiparação salarial.

Mais conteúdo sobre:
Metrô Greve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.