Metroviários decidem entrar em estado de greve, após assembleia

Trabalhadores não aceitaram proposta de aumento salarial oferecida pelo Metrô

Marcela Gonsalves, Central de Notícias

20 de maio de 2011 | 17h29

SÃO PAULO - Em assembleia realizada na noite de quinta-feira, 19, os metroviários aprovaram estado de greve. Os participantes da reunião, cerca de 700 pessoas, não aprovaram a proposta de reajuste apresentada pelo Metrô. O órgão ofereceu aumento salarial de 6,39%, contra os 10,79% reivindicados pelos trabalhadores.

Os metroviários reivindicam ainda reajuste nos valores do Vale-Refeição e Cesta Básica, participação nos resultados igualitária, licença-maternidade de 180 dias e equiparação salarial para as diversas faixas que existem entre trabalhadores que cumprem a mesma função.

Atividades de mobilização estão prevista para a próxima semana. Uma nova assembleia será realizada na próxima quinta-feira, 26, quando a categoria poderá decidir decretar greve.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.