Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Metroviários de SP adiam proposta de greve e devem fazer votação na semana que vem

Categoria se reuniu virtualmente nesta terça-feira e decidiu suspender paralisação programada para esta quarta-feira, 12. Sindicato reivindica reajuste salarial

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2021 | 23h34

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo adiou uma proposta de greve prevista para ter início nesta quarta-feira, 12. A paralisação foi suspensa por vontade da maioria da categoria, que realizou uma votação online na noite desta terça-feira, 11. Uma nova assembleia está marcada para o dia 18 de maio, com possibilidade de greve no dia 19. 

Segundo o sindicato, 73,5% das 2.595 pessoas que participaram da assembleia decidiram aprovar uma proposta elaborada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT). O adiamento foi sugerido em reunião de conciliação da categoria com a Companhia do Metropolitano na tarde desta terça-feira. 

A categoria deve continuar mobilizada, com uso de adesivos e coletes, e novas manifestações estão previstas. O sindicato protesta contra a proposta de reajuste salarial apresentada pelo Metrô, que é de 2,61% a partir de janeiro de 2022. "O Metrô fez uma proposta durante a reunião realizada em 11 de maio, que mantém o arrocho salarial e já foi rechaçada pelo sindicato", diz a representação da categoria.

A pauta inclui ainda um pagamento relativo à participação nos resultados de 2019, que segundo o sindicato está atrasado, além de questões relativas à progressão de carreira dos funcionários. “A negociação com o Metrô é muito interditada, difícil. A intenção é reduzir nossos direitos. A categoria que presta o melhor serviço público do País merece reconhecimento, não ameaças”, disse o coordenador do sindicato, Wagner Fajardo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.