Metroviários de SP aceitam acordo e suspendem greve

Durante assembleia, Sindicato dos Metroviários de São Paulo aceitou acordo de reajuste da Companhia do Metropolitano de São Paulo

Priscila Trindade, do estadão.com.br

31 de maio de 2010 | 19h19

SÃO PAULO - O Sindicato dos Metroviários de São Paulo aceitou o acordo de reajuste da Companhia do Metropolitano de São Paulo durante assembleia feita na tarde desta segunda-feira, 31. Com o acordo, a greve de 24 horas marcada para começar amanhã está suspensa.

 

Os funcionários aceitaram a proposta do Metrô de reajuste de 5,05%, com acréscimo do reajuste de 14,52% para o Vale Refeição, que passa de 22 para 24 cotas por mês; mais reajuste de 11,85% para o Vale Alimentação. A participação nos resultados (PR) terá valor mínimo de R$ 3.600.

 

O item da proposta que trata do Plano de Carreira foi o único rejeitado pela assembleia. Em nota, o sindicato informou que a "categoria continua reivindicando a totalidade do plano de carreira".

 

Os metroviários pediam reajuste salarial de 5,81%, aumento real de 4,25%, reajuste de 6,18% para o vale alimentação e vale refeição e equiparação salarial.

 

A primeira proposta do Metrô de reajuste de 5,05% sobre os valores do salário, vale refeição e alimentação; e participação nos resultados (PR) com valor de no mínimo R$ 3.465 foi rejeitada pelos funcionários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.