Metroviários ameaçam greve em São Paulo a partir de quarta-feira

Metrô diz que ainda mantém negociações e acionará o plano de emergência em caso de greve

William Cardoso, O Estado de S. Paulo

26 de maio de 2011 | 20h41

SÃO PAULO - Metroviários da capital paulista decidiram hoje entrar em greve a partir do dia 1.º de junho, caso o governo estadual não conceda o aumento salarial pedido pela categoria.

 

Depois de cinco reuniões, o Metrô ofereceu 6,39% de aumento, segundo o sindicato. Os trabalhadores pedem 10,79%, equivalentes à inflação acumulada no último ano de acordo com a medição do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M).

 

Além do aumento salarial, os metroviários reivindicam valores referentes à participação nos resultados da companhia e à produtividade. A categoria também pede a equiparação de salários para funcionários que exercem a mesma função.

 

O Metrô informou que ainda mantém negociações e acionará o plano de emergência em caso de greve.

Tudo o que sabemos sobre:
Metrô

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.