DANIEL TEIXEIRA | ESTADAO
DANIEL TEIXEIRA | ESTADAO

Alckmin promete 113 novos terminais de recarga de bilhete

Passageiros têm enfrentado longas filas para recarregar o bilhete desde dezembro do ano passado; outro problema é a falta de troco

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

25 de fevereiro de 2016 | 15h26

SÃO PAULO - As estações do Metropolitano de São Paulo (Metrô) devem receber, até o fim de março, 46 novas máquinas de recarga do Bilhete Único e mais 67 terminais para consulta de saldo e recarga. A informação foi confirmada na manhã desta quinta-feira, 25, pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Passageiros têm enfrentado longas filas para recarregar o bilhete desde dezembro do ano passado, depois de a empresa Ponto Certo, que operava 2/3 das máquinas de autoatendimento nas estações, ter suspendido a venda de créditos do bilhete. Outro problema recorrente, conforme mostrou o 'Estado', é a falta de troco nos guichês. O argumento é que há um problema de falta de moeda em circulação.

Segundo o Metrô, outras empresas foram chamadas para assumirem  "gradativamente" a venda e recarga de créditos. De acordo com a companhia, hoje todas as 68 estações têm ao menos uma máquina para atender os passageiros.

A empresa também informou que toma "uma série de medidas" para evitar o aumento das filas, como a ampliação da quantidade de bilheterias abertas nos horários de pico. Segundo a companhia, foram abertos guichês nas estações Sé, Tatuapé, Corinthians-Itaquera, Paraíso, Consolação e Ana Rosa  para atender os usuários que estão com dinheiro trocado. O mesmo foi feito nas estações da CPTM. E na estação da Sé foi colocado um posto de troca de moedas, que também são encaminhadas para outras estações.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.