Metrô obtém liminar que prevê multa de R$ 100 mil em caso de paralisação dos metroviários

Empresa tenta barrar possível greve prevista para esta quinta-feira, dia 11

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

10 Julho 2013 | 18h54

Sob ameaça de greve marcada para a quinta-feira, dia 11, como parte de uma série de manifestações organizadas por centrais sindicais, a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) conseguiu uma liminar na Justiça que prevê multa caso os metroviários não trabalhem normalmente nos horários de pico.

Na liminar, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) estabelece R$ 100 mil de multa por dia para o Sindicato dos Metroviários caso a paralisação ocorra. A decisão prevê 100% de operação nos horários de pico e 70% nos horários fora dele. "A motivação da greve não se trata de mora salarial, nem descumprimento de quaisquer obrigações contratuais", diz texto da sentença.

"O Metrô espera que os funcionários tenham bom senso e responsabilidade de comparecer ao seu posto de trabalho no dia 11/7, pois não há justificativa para a paralisação do sistema metroviário, que não deve ser utilizado para manifestações políticas", afirma o Metrô, em nota.

A greve, que ainda será confirmada ou não nesta quarta-feira, faz parte de uma mobilização nacional de trabalhadores que reivindicam atendimento de pautas trabalhistas, como redução da jornada de trabalho para 40 horas e fim do fator previdenciário no cálculo dos benefícios do INSS, além melhorias no transporte, na saúde e na educação.

Mais conteúdo sobre:
metrôgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.