Metrô: obras interditam Parque das Bicicletas

Mais da metade da área verde em Moema vai fechar por 2 anos para expansão da Linha 5

LAÍS CATASSINI / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

13 Outubro 2011 | 03h02

A partir de quarta-feira, mais da metade da área do Parque das Bicicletas, na Alameda Iraé, em Moema, zona sul, vai ficar fechada. O parque será usado como canteiro de obras do Metrô e deverá ter o espaço limitado pelo menos pelos próximos dois anos.

O lugar será usado para expansão da Linha 5-Lilás do Metrô. Apesar das obras, não haverá estação dentro do parque. Na região serão construídos dois túneis que servirão para estacionamento dos trens.

Ontem, um quiosque informava os frequentadores sobre a interdição. "Duas pistas e o playground continuarão funcionando normalmente", dizia o texto, distribuído em panfleto.

"Isso não é uma coisa boa. Vão fechar toda a área onde andamos de patins e não teremos estação próxima", disse a engenheira Natália Pavlova, de 34 anos. Ela costuma ir ao parque com a filha Anastácia, de 8, para andar de patins na área asfaltada, que será fechada.

O advogado Luís Arthur Kanno, de 33 anos, também não está satisfeito com a interdição. "Acabei de dar bicicletas às minhas filhas e pretendia vir mais ao parque, que fica ao lado de casa. Já é um espaço pequeno. Vão limitar ainda mais?" Kanno questiona o tempo estipulado para que a obra termine. "É muito difícil que obras terminem no prazo."

Segundo nota publicada no site do Metrô, quando a obra terminar, a área será devolvida à população "totalmente reurbanizada e com o paisagismo melhorado". É essa parte do acordo que interessa à dona de casa Emiliana Mara Pereira Dias, de 45 anos. "Se for para termos um espaço melhor depois, acho válido. É por um benefício maior e é algo temporário. Mesmo com um período complicado, o metrô vai ser bom para todos."

Enquanto as obras estiverem em andamento, a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação afirma que nenhuma atividade esportiva será restringida, mas frequentadores precisarão se adaptar ao espaço menor.

Crescimento. A Linha 5-Lilás tem hoje seis estações, começa no Capão Redondo e termina no Largo Treze, em Santo Amaro. A próxima a ser inaugurada é a Adolfo Pinheiro, na avenida homônima, prometida para 2013. Além dela, ganhará outras dez novas paradas e fará ligação com a Estação Santa Cruz da Linha 1-Azul, com a Estação Chácara Klabin da Linha 2-Verde e com a futura Linha 17-Ouro.

A previsão é de que os novos trechos aumentem o número de passageiros transportados pela linha de 235 mil para 644 mil pessoas por dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.