Evelson de Freitas/AE - 30/06/2011
Evelson de Freitas/AE - 30/06/2011

Metrô e CPTM registram até nove casos de roubos ou furtos por dia

Celular e até Bilhete Único estão entre itens mais visados por bandidos, diz chefe de segurança

Carolina Spillari, estadão.com.br

26 Julho 2011 | 16h59

SÃO PAULO - O Metrô e a CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - registram em média todos os dias nove casos de roubos ou furtos. Os itens mais procurados são celulares e até Bilhete Único nos horários de pico, disse o chefe de segurança do Metrô, Rubem Menezes, em entrevista ao noticiário SPTV, da TV Globo.

 

Na Estação Palmeiras-Barra Funda, há a Delegacia de Polícia do Metropolitano de São Paulo, a Delpom, que tem poder de polícia dentro do Metrô. Em 15 linhas, a segurança é feita por 1.180 agentes, uns à paisana e outros não. As estações possuem 948 câmeras e os trens, 910 câmeras. Segundo o chefe de segurança do Metrô, a previsão é que daqui a um ano as paradas tenham entre 1.700 a 1.800 câmeras.

 

Menezes afirmou também que qualquer pessoa que viu alguma ocorrência de roubo ou furto deve comunicar imediatamente a um empregado do Metrô. "Quando ela faz isso todo um sistema de segurança é ativado. O Centro de Controle de Segurança começa a movimentar os agentes para atuar nessa situação", disse.

 

Denúncias podem ser feitas via SMS pelo fone 7333 2252 ao Metrô e pelo fone 7150 4949 à CPTM. O usuário precisa descrever o fato, o local e a pessoa. Segundo a companhia, de janeiro para cá, foram recebidas 18 mil mensagens.

 

O chefe de segurança aconselhou à vítima ficar calma após a ocorrência e procurar qualquer empregado do metrô, que deve atuar imediatamente. "Para que não ocorra um mal maior a ela, deve entregar o objeto de desejo ao ladrão", disse Rubem Menezes.

Mais conteúdo sobre:
MetrôCPTMroubosfurtosSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.