DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Metrô destaca efeitos de campanha contra assédio e uso de SMS

Segundo a companhia, 89% dos abusadores descritos pelas vítimas são detidos pelos agentes de segurança e encaminhados às autoridades policiais

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

14 Março 2017 | 03h00

SÃO PAULO - A Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) afirma que o aumento das denúncias está diretamente ligado “às constantes campanhas realizadas pela empresa, que condena este tipo de crime, seja dentro ou fora do transporte público, e estimula que o usuário denuncie essa prática”. Segundo a companhia, 89% dos abusadores descritos pelas vítimas são detidos pelos agentes de segurança do Metrô e encaminhados às autoridades policiais.

“Além da atuação para inibir e coibir esse crime, os agentes de segurança, assim como os demais funcionários operativos, são treinados e preparados para acolher as vítimas, até estimulando o registro do boletim de ocorrência para o prosseguimento das investigações. Essa preparação foi intensificada e aprimorada após a criação da campanha ‘Você não está sozinha’”, diz o Metrô. Segundo a companhia, o resultado dessa campanha também pode ser visto pelo aumento das denúncias de abuso recebidas por SMS-Denúncia: 10 em 2013; 61 em 2014; 165 em 2015; e 195 em 2016. 

Procurada, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) informou que também “tem intensificado suas campanhas de cidadania e conscientização e as ações de combate ao crime”. “Isso tem estimulado mulheres que passam por este constrangimento a registrarem denúncia e BO em delegacias de polícia.”

Zero registros. Já a Secretaria da Segurança Pública destacou, em nota, o trabalho da 6.ª Delegacia de Polícia do Metropolitano, que “resultou no aumento de 20% nas detenções de importunadores e a redução a zero do número de estupros no interior das composições, em 2016”. “Atualmente, em média, 75% dos casos de contravenções penais de importunação ofensiva ao pudor registrados na Delpom são solucionados.” 

Mais conteúdo sobre:
MetrôCPTM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.