Metrô chama funcionários de outros cargos para conduzir trens

Sindicado acusa Metrô de colocar funcionários não habilitados para operar as composições

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

02 de agosto de 2007 | 10h41

O presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Flávio Godoi, afirmou que as linhas do Metrô que estão em funcionamento nesta quinta-feira, 2, são operadas de forma precária. A acusação foi feita já que, segundo a assessoria de imprensa do Metrô, profissionais capacitados, como supervisores e instrutores de trem, operavam as composições nesta quinta, quando os metroviários fazem greve. Dois assessores de imprensa, que já foram operadores, conduziam trens, segundo a própria assessoria. Só uma linha do Metrô funciona totalmente e duas estão paradasTrânsito ruim nas zonas leste e sul devido à greve do Metrô CET suspende rodízio em SP nesta quinta-feiraAlternativas para o transporteÔnibus operam com Plano de EmergênciaAcompanhe na Rádio Eldorado notícias sobre a greve  As primeiras informações do Metrô comunicavam que tanto as composições da Linha 1-Azul (Tucuruvi/Jabaquara) como as da Linha 2-Verde, entre as estações Ana Rosa/Clínicas, eram movimentadas pelo corpo diretivo e gerencial da empresa. Em entrevista concedida à Rádio CBN, Godoi afirmou que funcionários não habilitados estariam conduzindo os trens. "Eles não são treinados para fazer isso porque são da parte administrativa do Metrô de São Paulo. Os operadores dos trens estão em greve. Essa operação, inclusive, coloca em risco a vida dos usuários" - declarou o sindicalista.  De acordo com o presidente do sindicato, a categoria vai entrar com pedido na Delegacia Regional do Trabalho para que seja feita uma fiscalização nos serviços. Já o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, garantiu total segurança aos usuários das linhas 1 e 2. Segundo nota do Metrô, a "afirmação de Godoi, que em afronta a uma decisão da Justiça não cumpriu determinação de operar as linhas do Metrô no horário de pico com 85% da capacidade que o Metrô opera com pessoal inabilitado não corresponde à realidade, é leviana, inconseqüente e oportunista, sendo de sua exclusiva responsabilidade". Ao contrário da informação contida em nota divulgada pelo Sindicato dos Metroviários na manhã desta quinta-feira, 02, as composições do metrô de São Paulo estão sendo operadas por pessoal capacitado, segundo informação da assessoria da Companhia do Metropolitano.

Tudo o que sabemos sobre:
Metrôgrevesindicato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.