Metrô bate recorde de passageiros: 3,79 milhões

O Metrô de São Paulo bateu um novo recorde de passageiros. No dia 3 de setembro, uma sexta-feira, 3,794 milhões de pessoas passaram pelas catracas das 57 estações das quatro linhas da empresa - Azul, Vermelha, Verde e Lilás. A Linha Amarela é operada pela iniciativa privada e não entra nessa conta. A demanda histórica é atribuída ao fim de semana prolongado pelo feriado de 7 de Setembro, o que teria levado as pessoas a utilizarem o meio de transporte.

Eduardo Reina, O Estado de S.Paulo

14 Setembro 2010 | 00h00

O recorde anterior havia sido registrado no dia 7 de maio, também uma sexta-feira, mas sem feriado próximo. Naquela data, foram transportadas 3,791 milhões de pessoas, 3 mil a menos que no último dia 3 de setembro.

Lotado. O metrô paulistano é o segundo no mundo em número de passageiros transportados em relação à extensão da rede. O índice é de 11,5 milhões de passageiros transportados por quilômetro de linha. A liderança é do metrô de Tóquio, no Japão, com 11,9 milhões de pessoas.

São Paulo tem hoje 65,3 quilômetros de linhas metroviárias e 11 milhões de habitantes. Já a capital japonesa possui 286,2 quilômetros de trilhos de metrô e 13 milhões de habitantes. Lá, como aqui, são duas as companhias que operam o sistema.

Juntas, as quatro linhas sob administração direta do Metrô paulistano fazem em média 3.535 viagens diárias com 828 carros. A estação mais movimentada é a Sé, considerando as entradas, saídas e transferências entre as Linhas 1-Azul e 3-Vermelha, com média de mais de 760 mil passageiros em dias úteis. A Linha 3 também é a mais densa do mundo, com 12,8 milhões de entradas anuais por quilômetro de linha. No pico, os trens chegam a levar nove pessoas por metro quadrado.

Entre os 14 maiores metropolitanos do mundo, Madri ocupa a última posição. Transporta 2,5 milhões de passageiros por quilômetro de rede (112 linhas, 274,6 quilômetros, 2.451 estações para 3,2 milhões de habitantes). Na terceira posição, atrás de São Paulo, está Moscou. Nos 292,2 quilômetros de trilhos da capital russa e 161 estações são transportados 8,8 milhões de passageiros por quilômetro de rede.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.