Metalúrgicos da GM realizam protesto pela morte de colega durante expediente

Vítima foi prensada por máquina de 24 toneladas enquato fazia hora extra

26 Março 2012 | 12h04

São Paulo, 26 - Metalúrgicos trabalhadores da General Motors, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, atrasaram a produção nesta segunda-feira, 26, em função de um protesto contra a morte do trabalhador Antonio Teodoro Pereira Filho, vítima de acidente ocorrido dentro da fábrica no último sábado, 24.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos, a manifestação durou cerca de duas horas e exigiu que a multinacional abrisse uma negociação para discutir as condições de trabalho.

Antonio Teodoro Pereira Filho, de 60 anos, morreu quando fazia hora extra no setor de Prensas. Ele foi prensado ao ser atingido por uma ferramenta de 24 toneladas. A operação que estava sendo executada por Antonio deveria ser realizada por duas pessoas. A perícia técnica foi acionada pelo próprio Sindicato e o laudo deve ser apresentado dentro de 15 a 20 dias.

Uma nova assembleia deve acontecer na entrada do segundo turno dos trabalhadores, por volta das 14h30 e deve ocorrer uma nova paralisação.

Mais conteúdo sobre:
metalúrgicos protesto GM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.