Metade dos centros de compra está sob apuração

Os shoppings de São Paulo estão na berlinda. Quase metade dos 54 principais centros comerciais instalados na capital são investigados pelo Ministério Público Estadual (MPE) ou pela própria Prefeitura. No total, 26 shoppings estão sob suspeita de estar com alguma irregularidade.

O Estado de S.Paulo

05 Julho 2012 | 03h02

A maior parte dos casos diz respeito a obras de compensação viária - pelo menos oito grandes shoppings da cidade não têm o Termo de Recebimento e Aceitação Definitivo (Trad), emitido pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), que comprova que as contrapartidas para mitigar o trânsito foram executadas. Vários outros têm pendências em relação a alguma reforma ou construção irregular feita nos últimos anos. Nove deles, por exemplo, ainda têm processos de anistia de obras irregulares em tramitação na Prefeitura, com base em lei de 2003.

Um grupo de cinco outros shoppings, todos com participação societária da Brookfield Gestão de Empreendimentos (BGE), está sendo investigado após denúncias de que a empresa pagou propina para receber vantagens indevidas. São eles: Pátio Higienópolis, Pátio Paulista, Shopping Raposo Tavares, West Plaza e Shopping Vila Olímpia. A empresa nega todas as irregularidades.

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informou ontem que já vistoriou 22 shoppings no Município. Segundo a pasta, foram aplicadas multas no valor total de R$ 3 milhões - os nomes dos empreendimentos autuados não foram divulgados. Também não foram informadas as irregularidades constatadas nos centros de compra.

Segundo a Prefeitura, o primeiro shopping que será lacrado por irregularidades após a série de denúncias contra os centros comerciais será o Mooca Plaza, cujo fechamento está marcado para o dia 21 deste mês. O empreendimento está aberto há mais de sete meses sem certificado de conclusão (Habite-se) nem licença de funcionamento. O shopping negou que será fechado e afirmou que vai se regularizar até a data marcada pela Prefeitura. / A. R. e R. B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.