Metade dos alunos voltam às aulas em escola depredada em SP

Ronda escolar da PM estava na Escola Estadual Amadeu Amaral nesta manhã; seis alunos foram transferidos

Maria Rehder, Fábio Mazitelli e Vitor Sorano , O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2008 | 19h37

Nem metade dos alunos da Escola Estadual Amadeu Amaral - fechada desde quarta-feira passada por ter o prédio depredado por alunos que brigaram, acuaram professores e só pararam após intervenção da Polícia Militar - estava em sala de aula nos primeiros horários desta segunda-feira, 17. As paredes da unidade foram repintadas, os vidros repostos e novas grades foram colocadas. Na entrada, a movimentação foi de cinco pais que checam a segurança do colégio antes de deixar seus filhos e, além disso, a ronda escolar da PM estava ao lado de fora.   A Secretaria de Educação confirmou a transferência de seis alunos apontados pela como responsáveis pelo quebra-quebra no colégio da zona leste. A direção identificou outros envolvidos na confusão, mas a secretaria optou por não informar o total de estudantes que serão encaminhados a outros colégios porque os pais ainda não haviam sido comunicados. O tumulto causou prejuízo de R$ 180 mil.   Foto: Patrícia Santos/AE   Pais ou responsáveis dos alunos que estudam no local foram convocados pela diretoria para que se tornem voluntários no dia-a-dia e ajudem na mediação de conflitos internos. Como exemplo de trabalho voluntário que as mães podem desenvolver, a secretaria cita a participação nas atividades vespertinas, detalhando como se fazem pães - a escola tem oficinas para isso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.