Meta era recuperar 192 km em dois anos; foram feitos 10 km

Enquanto o Plano Emergencial de Calçadas (PEC) não engata, o balanço de outro planejamento da Prefeitura de São Paulo mostra que apenas 10 km de calçadas foram reformados desde o ano passado. O número - publicado no site da Agenda 2012, programa de metas oficial da atual gestão de Gilberto Kassab (DEM) - representa cerca de 5% do total de 192 km planejados para reformas em 2009 e 2010.

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

10 Agosto 2010 | 00h00

Segundo o balanço, os 10 km foram reformados no ano passado, período em que a meta era 68 km. Neste ano, as regiões que deveriam receber os 192 km de calçadas recuperadas ainda nem foram divulgadas no site. A última atualização foi há três meses.

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informou que - ao contrário do que está publicado no site da Agenda 2012 - reformou 70 km de passeios desde 2009. A pasta informou que a discrepância entre os dados foi causada por "um erro de um funcionário ao atualizar o site". Desde 2005, foram reformados 474,09 km, a um custo de R$ 72 milhões, segundo a pasta.

Danos. Estima-se que existam cerca de 30 mil km de calçadas na cidade. Para a vereadora Mara Gabrilli (PSDB), se os esforços da Prefeitura se concentrassem nos 10% dos passeios em rotas estratégicas, 80% dos problemas de deslocamento de idosos e deficientes seriam resolvidos.

Além de restringir a acessibilidade, calçadas mal cuidadas causam acidentes. A advogada Patrícia Petreche, de 35 anos, sabe bem disso. Ela caminhava pela calçada da Rua Pedroso Alvarenga, no Itaim-Bibi, quando prendeu o pé em um buraco e quebrou o tornozelo dias antes de sair de férias. "Tive de ficar sentada no quarto do hotel." Ela planeja processar a Prefeitura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.