Meta é regularizar 81 mil casas

O programa da Serra do Mar, citado nas metas de saneamento, está sob a tutela da Secretaria de Habitação, que continua com planos de expandir a produção e a compra de unidades habitacionais populares, mas planeja para os próximos anos um foco especial em regularização fundiária.

, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2011 | 00h00

A meta é regularizar 81,2 mil domicílios até 2015, número 80 vezes maior do que o realizado de 2007 até agora. A meta engloba os empreendimentos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU) em processo de regularização, totalizando 325 empreendimentos.

Em favelas e áreas de risco, estão previstos 61,3 mil domicílios atendidos, entre urbanização de aglomerados e reassentamento. Cortiços terão também atenção especial: estão previstos 18,1 mil cortiços requalificados em áreas centrais - o plano no quadriênio que se encerra em 2011 não passava de mil.

O déficit habitacional em todo Estado gira em torno de 1 milhão de famílias. A produção de moradias, seja por construção direta ou compra por meio de carta de crédito, passa de 100 mil unidades neste PPA - um aumento de 26% do previsto até este ano, que sequer foi alcançado.

Para Ermínia Maricato, o modelo de planejamento de moradias é ruim. "Ninguém quer enfrentar a regularização do preço da terra e do mercado. Colocar dinheiro para a iniciativa privada construir unidades acaba inflando o preço da terra, reproduzindo a exclusão."

Em diagnóstico produzido sobre a secretaria para nortear o novo PPA, o preço dos imóveis é apontado como um dos motivos para que as metas não tenham sido atendidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.