Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Mesmo sem chuva, Cantareira sobe pelo 18º dia seguido

Não houve registro de precipitação em nenhum dos seis sistemas que abastecem São Paulo; em dois deles, nível de reserva caiu

O Estado de S. Paulo

23 Fevereiro 2015 | 09h02

SÃO PAULO - O nível do Sistema Cantareira, que abastece de água mais de 6 milhões de pessoas na Grande São Paulo, subiu 0,2 ponto percentual nesta segunda-feira, 23, apesar de não ter chovido sobre o manancial nas últimas horas. Com isso, agora o reservatório contém 10,6% de sua capacidade total. É o que revelam dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Trata-se da 18.ª elevação seguida da reserva hídrica.

A última queda ocorreu no primeiro dia de fevereiro. Apesar das altas sucessivas, é importante lembrar que o Cantareira encontra-se utilizando a segunda cota do chamado volume morto e que, portanto, opera além do limite de sua capacidade normal. Por isso, o consumo de água ainda precisa ser moderado e consciente.

Outros dois sistemas que abastecem a Região Metropolitana, o Alto Tietê e o Rio Claro, também registraram aumento em sua reservação. O primeiro passou de 18,2% para 18,3% de sua capacidade de reserva de água, ao passo que o segundo subiu de 35,3% para 35,4%. A variação foi registrada entre domingo, 22, e esta segunda-feira.

Por sua vez, os Sistemas Alto Cotia e Rio Grande observaram queda no volume armazenado. No caso do Alto Cotia, a variação negativa fez com que a reserva de água ali caísse de 36,6% para 36,4%. Já no Rio Grande, a redução fez com que o nível de reserva hídrica caísse de 83,6% para 83,4%.

O Sistema Guarapiranga manteve-se estável em 57,5%. É importante destacar que não houve registro de chuva em nenhum dos seis sistemas que abastecem a Grande São Paulo de água nas últimas 24 horas.

Mais conteúdo sobre:
Sistema Cantareira crise da água

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.