Mesmo quem já foi assaltado elogia segurança da cidade

Quando anoitece, os moradores se reúnem no largo da Catedral e as mulheres deixam as bolsas nas cadeiras

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

06 Março 2011 | 00h00

Botucatu é considerada a "cidade dos bons ares" por causa de seus 804 metros de altitude em relação ao mar, mas o que os moradores elogiam mesmo é a segurança. "Vim de São Paulo em 1994 e não volto para lá nem para ganhar dinheiro", diz o funcionário público Rodrigo Perez, que trabalha na Universidade Estadual Paulista (Unesp). Ele conta que já esqueceu o carro aberto e, quando voltou, estava tudo no lugar. Sua mulher, Alinny Magalhães, lembra que sua irmã teve o som do carro roubado, mas ressalva: "Foi há sete anos."

As estudantes Helena Alves da Silva e Adriana da Silva Luiz, ambas com 15 anos, contam que saem da escola e vão a pé para casa, sem sustos. "Não tenho medo de sair sozinha nem à noite", diz Adriana. Quando anoitece, os moradores se reúnem em torno de quiosques e carrinhos de cachorro-quente no largo da Catedral e as mulheres deixam as bolsas nas cadeiras. "Ninguém mexe", diz a comerciante Cristina Vaz. Ela mora no Jardim Brasil, bairro que no passado era considerado violento. "Hoje parece que estou no céu." Antonio Alves Colodino, dono de um trailer de lanches, diz que a polícia está presente. "A toda hora passa uma viatura em patrulhamento e isso afugenta o bandido."

A estudante de Medicina Thalita Alves considera a queda na criminalidade uma ótima notícia. "Botucatu é uma cidade agradável, com boa qualidade de vida, boas escolas, um povo legal, mas por um tempo tinha esse problema da violência." Já a comerciante Carmen Silva Taborda, dona de duas lan houses, tem razões para acreditar que a cidade está mesmo mais tranquila. "Às vezes até esqueço que já fui assaltada." Foi há quatro anos e levaram o dinheiro do caixa.

O divulgador Carlos Roberto Pinto também teve roubado o seu carro de som em 2006, mas a polícia o recuperou. "O bom aqui é que o boletim de ocorrência não fica na gaveta, a polícia vai atrás."

Comparação. Outros municípios da região de Sorocaba com mais de 10 mil habitantes ficaram entre os dez menos violentos do Estado, segundo a Secretaria de Segurança Pública. Em um ranking das 73 cidades médias, Itapetininga está na sexta colocação e Tatuí, na décima. Já Sorocaba é a cidade com menor índice de roubos entre os municípios com mais de 400 mil habitantes.

"A polícia está fazendo sua parte, mas a melhoria nas condições econômicas da população influiu na queda dos índices", diz o diretor do Departamento de Polícia Judiciária do Interior, Weldon Carlos da Costa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.