Mesmo com transporte gratuito, Agudos terá protesto nesta sexta

Precariedade da saúde é um dos principais alvos do movimento na cidade, que fica a 330 km de São Paulo

Clarice Cudischevitch, O Estado de S. Paulo

21 Junho 2013 | 11h32

SÃO PAULO - Uma das três cidades do Brasil que têm tarifa zero de transporte público, Agudos também terá uma manifestação. Marcado para as 18h desta sexta-feira, 21, o ato, batizado de "Movimento Agudense" nas redes sociais, tem mais de mil pessoas confirmadas na página do evento no Facebook . O município, a 330 km de São Paulo, tem 36 mil habitantes.

Na internet, participantes do movimento debatem que pautas o ato deve levantar. "Além de apoiar o movimento pelo Brasil, reivindicar nossos direitos aqui em Agudos, pois todos nós sabemos que Agudos não é uma maravilha só por ser uma cidade pequena. E que ônibus gratuito não basta", anuncia a página do evento no Facebook.

Um dos principais alvos do ato deve ser a precariedade do sistema de saúde na cidade, que não tem vagas suficientes em UTI. O problema é reconhecido pela prefeitura: "Nós dependemos do Hospital Estadual de Bauru", afirma a assistente de gabinete Sireni Ferrari. "Temos a Santa Casa, mas não tem UTI."

Apesar disso, a prefeitura diz que o ato é pacífico e tem como principal objetivo aderir ao movimento que acontece no Brasil, em solidariedade. "Há influência de Bauru (a 18 km de Agudos), que hoje teve paralisação de motoristas de transporte coletivo."

Outro problema levantado pelo organizador do evento no Facebook, Guillaume Alencar, é o das drogas. "Não é fazendo 'show gospel', mostrando golpes de capoeira e kung fu que o jovem vai deixar a droga, que por sinal 'come solta aqui'", comentou o ativista na rede social.

Até o momento, o Estado não conseguiu entrar em contato com um representante do movimento.

Mais conteúdo sobre:
protestosprotestos spAgudos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.