Mesmo após assalto, Soninha não pretende mudar sua segurança

Rapaz com faca roubou R$ 35 e tentou levar celular logo após ela sair da subprefeitura da Lapa, na zona oeste

Ítalo Reis, estadao.com.br

11 de agosto de 2009 | 19h02

Mesmo após ter sido vítima de um assalto, a subprefeita da Lapa, Soninha Francine (PPS), de 41 anos, disse que não pretende mudar muitas coisas em relação a sua segurança. "Não, de jeito nenhum (vou mudar minha segurança). A única coisa que eu vou pensar quando andar num lugar mais deserto é não o deixar o celular visível", contou ela ao estadao.com.br nesta terça-feira, 11. Soninha foi roubada na Rua Caio Graco, logo após sair da subprefeitura, na Rua dos os Guaicurus, na noite de segunda. O ladrão, armado com uma faca, levou R$ 35 da subprefeita, que não chegou a ser ferida.

 

Soninha disse que ia para a casa de um amigo, e por isso estava a pé, o que para ela também é um hobby. "Eu gosto de andar. É quando eu consigo organizar meus pensamentos. É um jeito de ver as coisas mais de perto, acho que é importante até para o meu trabalho", explica. Conhecida por andar pela cidade de bicicleta, Soninha também diz que não pretende usar carro só para se proteger. "Teria que ser blindado, com vidro escuro", afirma. "E se eu estivesse de carro ele poderia ter levado".

 

A subprefeita falou que o criminoso não chegou a ser violento. "Só na abordagem que ele apontou a faca para mim. Eu consegui negociar com ele, para não levar meu celular". Ela conta que o rapaz queria R$ 50 para não levar o aparelho. "Mas eu não tinha mais (dinheiro). Teria de ir em algum lugar sacar".

 

Usuária do Twitter, Soninha contou por lá que foi assalta, através do celular quase roubado. "Ele disse que devia p traficantes, q tem filha pequena, q n acha trabalho. Acho q é mentira mas, besta q sou, ainda tive dó" (sic), postou ela no serviço de micro-blogging. Questionada se vai deixar de contar por lá o que faz no seu dia-a-dia por poder interferir na sua segurança, ela diz que não. "Tem recomendações para não se expor, mas eu não vou me prender a isso. Existem coisas particulares que eu vou preservar, mas se eu quiser falar que vou ao teatro ou ao cinema, eu falo".

 

A subprefeita registrou o boletim de ocorrência nesta manhã no 7º Distrito Policial (Lapa). Lá, ela disse que encontrou um casal de bolivianos que também havia sido assaltado por um homem armado com faca. "Pode até ter sido o mesmo, mas no caso deles foi bem pior. A moça contou que ele colocou a faca nas costas dela e levou todos os documentos". O assalto ao casal ocorreu a seis quarteirões, segundo Soninha.

Tudo o que sabemos sobre:
assaltoSoninhaLapasubprefeitura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.