Mergulhadores começam a içar barco afundado no Lago Paranoá

Nono e último corpo foi retirado da água ontem; embarcação estava com mais passageiros que[br]a capacidade máxima

Vannildo Mendes, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2011 | 00h00

Mergulhadores do Corpo de Bombeiros e da Marinha começaram ontem a amarrar globos de elevação de cargas subaquáticas para içamento do barco Imagination, que naufragou no domingo no Lago Paranoá, em Brasília, matando nove pessoas. Com capacidade para 92 pessoas, o barco tinha 102 a bordo e apresentava defeitos mecânicos, além de rachadura no tubo de flutuação.

O corpo da última vítima foi identificado ontem pelo Instituto Médico-Legal (IML) e liberado para sepultamento. Trata-se do garçom Hadnilton José de Oliveira, de 31 anos, que ajudou vários passageiros a se salvar, mas não conseguiu sair a tempo, após descer ao andar inferior para jogar engradados e objetos fora, na tentativa de aliviar o peso da embarcação.

O corpo de Oliveira foi encontrado perto do posto de resgate dos bombeiros montado no local do naufrágio.

Investigação. A Polícia Civil e a Marinha abriram inquérito para investigar causas e definir responsabilidades pelo naufrágio.

O barco pesa 15 toneladas e há todo um cuidado para que o resgate o mantenha intacto, uma vez que isso será fundamental para a perícia.

Quando a embarcação for erguida, ela será colocada na posição de navegação e levada para a margem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.