Mércia Nakashima morreu afogada, diz laudo

Segundo o delegado Antônio de Olim, antes de morrer, a advogada levou um tiro que atravessou o braço esquerdo e atingiu o maxilar

Julia Baptista, do estadão.com.br

20 de julho de 2010 | 18h26

SÃO PAULO - A advogada Mércia Nakashima morreu afogada, segundo apontou o resultado do exame necroscópico feito pelo Instituto Médico Legal, divulgado nesta terça-feira, 20. A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP).

 

Segundo o delegado Antônio de Olim, que chefia a investigação da morte de Mércia, ela levou um tiro no braço esquerdo. A bala atravessou o braço e atingiu o maxilar da vítima. A advogada, no entanto, não morreu por causa do ferimento. No exame, foi constatado afogamento como a causa da morte.

 

O corpo de Mércia foi encontrado em 11 de junho na represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo. A advogada estava desaparecida desde o dia 23 de maio.

 

O advogado e policial militar aposentado Mizael Bispo de Souza, indiciado pela morte de Mércia e ex-namorado dela, manteve em depoimento dado hoje à polícia a versão de que é inocente e que na noite da morte da ex-namorada estava em um carro com uma mulher em frente ao Hospital Geral de Guarulhos, na Grande São Paulo, informou seu advogado, Samir Haddad Junior.

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Mércialaudoperíciaafogamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.