Mércia Nakashima morreu afogada, diz laudo

Segundo o delegado Antônio de Olim, antes de morrer, a advogada levou um tiro que atravessou o braço esquerdo e atingiu o maxilar

Julia Baptista, do estadão.com.br

20 de julho de 2010 | 18h26

SÃO PAULO - A advogada Mércia Nakashima morreu afogada, segundo apontou o resultado do exame necroscópico feito pelo Instituto Médico Legal, divulgado nesta terça-feira, 20. A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP).

 

Segundo o delegado Antônio de Olim, que chefia a investigação da morte de Mércia, ela levou um tiro no braço esquerdo. A bala atravessou o braço e atingiu o maxilar da vítima. A advogada, no entanto, não morreu por causa do ferimento. No exame, foi constatado afogamento como a causa da morte.

 

O corpo de Mércia foi encontrado em 11 de junho na represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo. A advogada estava desaparecida desde o dia 23 de maio.

 

O advogado e policial militar aposentado Mizael Bispo de Souza, indiciado pela morte de Mércia e ex-namorado dela, manteve em depoimento dado hoje à polícia a versão de que é inocente e que na noite da morte da ex-namorada estava em um carro com uma mulher em frente ao Hospital Geral de Guarulhos, na Grande São Paulo, informou seu advogado, Samir Haddad Junior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.