Menores tentam roubar carro com arma de brinquedo e são presos

Crime ocorreu na madrugada desta segunda-feira, no Jardim Amália, zona sul

Diego Cardoso,

15 de abril de 2013 | 08h45

Uma pessoa sofreu um sequestro relâmpago às 22h deste domingo, 15, na Avenida Engenheiro Caetano Álvares, no acesso à Marginal Tietê, na zona norte de São Paulo. Segundo a Polícia Civil, os suspeitos Emerson Eliseu, 18, Gilmar Alves de Lima, 19, e um menor de 15 anos conduziram a vítima por quase uma hora até a Estação Pirituba da CPTM, onde ela foi liberada. Eles fugiram com o carro e os pertences do sequestrado.

O trio foi encontrado pela PM em um baile funk na Avenida Inajar de Souza, perto da Avenida General Penha Brasil. Conduzidos até o 72º DP, na Vila Penteado, eles foram reconhecidos pela pessoa sequestrada. Eliseu e Lima continuam detidos. O menor apreendido será encaminhado para a Fundação Casa perto das 9h desta segunda-feira (15), segundo a Polícia Civil.

Brinquedo. O outro caso envolvendo menores ocorreu perto das 3h desta segunda-feira, 15, no distrito de Capão Redondo, zona sul. Dois menores tentaram roubar um Polo Sedan na Rua Serra da Canastra, no bairro Jardim Amália, abordando a dona do carro com um arma de brinquedo - uma réplica de pistola PT 100. Uma viatura do Grupo Tático da PM que estava na região se aproximou do veículo, impediu a fuga e apreendeu a dupla, que foi levada para o 47º DP, em Capão Redondo. Eles serão encaminhados para a Fundação Casa.

Na última quinta-feira, um jovem de 16 anos também usou uma arma de brinquedo para fazer um arrastão no restaurante Feijão de Corda, na Estrada do Campo Limpo, zona sul da capital paulista. Em menos de cinco minutos, ele e os dois comparsas fizeram o assalto e fugiram, mas foram perseguidos por uma viatura da Rota na Avenida Carlos Lacerda. O trio confessou o roubo, segundo a polícia, e foi levado ao 89º DP, no Portal do Morumbi. O menor de idade foi encaminhado para uma unidade da Fundação Casa.

Recorrência. O número de adolescentes internados por atos infracionais cresceu 67% em dez anos. O valor passou de 5.385 jovens no fim de 2002 para 9.016 no início deste mês. Os casos envolvendo menores ganharam destaque após a morte do universitário Victor Hugo Deppman na última terça-feira, 9, baleado em um roubo por um jovem que completou 18 anos na semana passada. O suspeito do crime já tinha passagem pela Fundação Casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.