Divulgação
Divulgação

Menores são apreendidos tentando arremessar celular para presídio no interior de SP

Abordados pela polícia, menores confessaram plano e indicaram o quarto participantes da ação

Priscila Trindade, estadão.com.br

18 de agosto de 2011 | 10h16

SÃO PAULO - Um homem e três adolescentes foram detidos em Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, suspeitos de tentar arremessar celulares na Penitenciária 2 com um arco e flecha, na noite desta quarta-feira. O objeto foi apreendido.

 

Os três adolescentes foram abordados por PMs da Força Tática quando se aproximaram da penitenciária, por volta das 20h30. Os suspeitos estavam parados em uma esquina na Avenida Jorge Tibiriçá. Questionado, o trio confessou que estava na cidade para tentar arremessar alguns objetos para o interior da penitenciária, localizado na Rodovia Raposo Tavares, km 623, no bairro Horto Florestal.

 

Eles informaram que um homem estava com os objetos que seriam arremessados no presídio. Os policiais fizeram patrulhamento pela área e localizaram o quarto suspeito na garupa de uma motocicleta também na Avenida Jorge Tibiriçá.

 

O homem de 24 anos disse que receberia R$ 3.000 e cada adolescente receberia a quantia de R$ 1.000 para arremessar os objetos para dentro da Penitenciária II. Ele indicou o local onde estavam escondidos o arco e flecha, dentro de uma caixa embrulhada com papel de presente. No embrulho havia duas flechas já com os celulares presos com fita adesiva, prontas para o arremesso. O material estava armazenado sob o viaduto do cruzamento da Rodovia Raposo Tavares com a Rodovia Euclides Figueiredo.

 

Um dos adolescentes afirmou ter comprado o equipamento por aproximadamente 350 dólares no Paraguai. Ele treinou o lançamento dos objetos por duas semanas em um sítio localizado na região de Presidente Prudente.

 

O adulto foi preso e levado para a Cadeia Publica de Presidente Venceslau. Os menores apreendidos serão apresentados ao Ministério Público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.