Menor de idade é detido e sua namorada baleada após perseguição

Adolescente de 17 anos havia pegado o carro de um dos clientes da oficina do seu pai para sair com a namorada; ele fugiu de abordagem da PM

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

13 de outubro de 2013 | 13h13

Atualizado às 16h40

Um adolescente de 17 anos foi detido e sua namorada, de 16, baleada após perseguição envolvendo a Polícia Militar (PM). Por volta das 23h30 de sábado, 12, o adolescente dirigia uma Tucson pela Rua do Carmo, no centro de São Paulo, quando, ao ver a viatura da PM, acelerou para fugir. Os policiais acompanharam e solicitaram reforço até à Rua Riskallah Jorge, na República, local onde o suspeito perdeu o controle do veículo, de acordo com o boletim de ocorrência.

Os PMs então desceram da viatura e foram em direção ao carro, mas o adolescente deu ré e bateu no veículo policial. Um dos policiais atirou contra o pneu da Tucson, mas mesmo assim o veículo continuou a fuga por aproximadamente um quilômetro. Diversas viaturas perseguiram a Tucson e, durante o trajeto, atiraram diversas vezes. Segundo a PM, o objetivo era conter o veículo, mas um dos disparos atingiu a perna da jovem, que estava no banco do carona.

Na Avenida Nove de Julho, o adolescente parou e desceu do carro. A passageira, ferida, foi encaminhada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Pronto Socorro da Santa Casa de Misericórdia.

De acordo ainda com o boletim de ocorrência registrado no 2° DP (Bom Retiro), o adolescente havia pegado a Tucson de um dos clientes da oficina do seu pai, sem que ele soubesse, para sair com a namorada. O adolescente afirmou à polícia que ficou com medo de que o carro fosse apreendido e, por isso, tentou fugir. Ao ver as viaturas em seu alcance, disse ter ficado "desesperado".

Encaminhado DP, o jovem foi liberado junto com o pai e, por ser menor de idade, não será preso, mas teve de assinar um termo de compromisso de apresentação à Vara da Infância e Juventude. O caso foi registrado como ato infracional e lesão corporal culposa. A arma do policial que teria acertado a menina foi apreendida e leva para perícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.