Menino morre em Barrinha ao ser atacado por esquizofrênico

Cristiano Ferreira Alves, de 32 anos, é preso em flagrante; não se sabe se ele será internado em manicômio

Brás Henrique, do Estadão,

03 de setembro de 2007 | 16h47

O menino D.H.A., de 2 anos e 7 meses, morreu no domingo, 2, em Barrinha, na região de Ribeirão Preto, após ser atirado ao chão por seu vizinho Cristiano Ferreira Alves, de 32 anos. Apesar do socorro, o garoto morreu. Alves sofre de esquizofrenia e já foi internado pelo menos duas vezes - a última ocorreu entre junho e julho deste ano. O destino de Alves, cadeia ou manicômio judiciário, será definido pela Justiça de Sertãozinho. Por enquanto, Alves está na Cadeia de Monte Alto. Por volta de 9 horas da manhã de domingo, D.H.A. foi a um bar perto de sua casa, na Vila Recreio, com a irmã de 6 anos, para comprar balas. Quando chegou, Alves estava lá e, ao ver a criança, começou a gritar que o menino de 2 anos queria matá-lo. Numa ação rápida, Alves agrediu violentamente o garoto. O menino bateu com a cabeça no chão. Vizinhos ainda tentaram socorrer a criança, que morreu a caminho do Pronto-Socorro. Alves, que morava com dois irmãos na vizinhança, foi preso em flagrante. Segundo informações da Polícia Civil, Alves já ficou internado duas vezes no Hospital Psiquiátrico Santa Teresa, em Ribeirão Preto, em 2003 e neste ano. A última alta do hospital psiquiátrico ocorreu em 16 de julho, mas ele tinha acompanhamento médico do Ambulatório de Saúde Mental de Barrinha, que não tem hospital. O processo correrá pela Justiça de Sertãozinho, pois Barrinha também não tem Fórum. Alves foi encaminhado para a Cadeia de Monte Alto, pois também não tem cadeia e a da vizinha Sertãozinho está desativada. Um laudo médico pericial deverá ser solicitado pela Justiça para dar seqüência ao caso.

Tudo o que sabemos sobre:
Barrinhaassassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.