Menino morre após ser encontrado inconsciente em clube de campo em Jundiaí

Pais, que seriam associados do clube, ainda não compareceram na delegacia; polícia investiga as causas da morte

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

19 de junho de 2010 | 05h13

SÃO PAULO - O garoto Alan de Souza Almeida, de 10 anos, morreu, por volta das 22h30 de sexta-feira, 18, após ser encontrado caído e desacordado num jardim próximo à sauna do Clube de Campo do Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí (interior paulista), localizado na altura do quilômetro 53,4 da Rodovia Presidente Tancredo de Almeida Neves, no bairro Castanho.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada e encaminhou a criança para o Centro Médico Hospitalar Sobam, mas o menino, segundo a equipe de resgate, morreu a caminho do hospital. O boletim de ocorrência foi registrado no plantão policial de Jundiaí como morte a esclarecer. Os pais do menino, Antonio Dourado de Almeida e Maria Aparecida de Souza, que seriam associados do clube, não compareceram na delegacia.

Uma das informações que chegaram para PMs da 1ª Companhia do 49º Batalhão, que foram acionados, era de que havia suspeita de que o menino teria sofrido algum tipo de violência sexual, mas, no boletim de ocorrência, nada a respeito foi citado pelos PMs e a Polícia Civil não quis confirmar se há suspeita ou não. A Polícia Civil agora espera o resultado do laudo do legista para dar prosseguimento nas investigações sobre o que ocorreu antes do desmaio do garoto e qual a verdadeira causa da morte.

O menino, segundo a polícia, participava de aulas de futebol no clube. As aulas eram noturnas, entre 19h30 e 22 horas. Na sexta-feira, Alan e dois colegas, Matheus e Nathan, foram levados para o clube de carro pelo tio de Nathan. Segundo os meninos, como o professor deles, José Carlos Maia, demorava, os três resolveram ir até o ginásio para tentar localizá-lo.

A caminho do ginásio, Alan teria feito um percurso diferente dos dois colegas, se separando deles, mas antes chegou a comentar que sentia um pouco de tontura. Já no ginásio, Matheus e Nathan estranharam ao ver que o colega não aparecia e resolveram voltar. Alertados por uma testemunha sobre um garoto caído no jardim, os dois colegas encontrando Alan caído, já com uma pessoa tentando reanimá-lo com massagem cardíaca.

Minutos depois a equipe do SAMU chegou ao local e socorreu o menino, que acabou morrendo a caminho do hospital.

Tudo o que sabemos sobre:
Jundiaí, morte, inconsciente, menino

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.