Menino é morto por rojão em Guarulhos Acidente com motorista bêbado mata grávida

Médicos fizeram parto de emergência e ainda conseguiram retirar bebê com vida, mas ele morreu horas depois; acusado foi preso

GIO MENDES, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2012 | 03h02

Um menino de 3 anos morreu após a explosão de um rojão no bairro Jardim Angélica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. O acidente aconteceu na madrugada de ontem, durante as comemorações de ano-novo. O pai da criança, que não teve seu nome divulgado pela polícia, responderá por homicídio culposo (quando não há intenção de matar).

O garoto Mateus Hideki Narazaki Hasegawa estava na Rua Elvis Presley com pais, amigos e parentes. Por volta da 1 hora, segundo a Polícia Civil, um rojão de 12 tiros foi colocado num cano e aceso perto do menino. Não há certeza se o pai entregou o artefato para a criança. Ao estourar, o rojão acertou o pescoço do menino, atingindo sua jugular.

Mateus foi levado para o pronto-socorro do Hospital Pimentas Bonsucesso, mas morreu no local. O caso foi registrado no 4.º Distrito Policial de Guarulhos e a atitude do pai será investigada. Ninguém foi preso.

Cuidados. Além de não soltar fogos de artifício perto de crianças, o Corpo de Bombeiros recomenda que os artefatos sejam comprados em lojas credenciadas. Os fogos não podem ser manuseados ainda por pessoas alcoolizadas ou inabilitadas para o uso. De acordo com os bombeiros, para evitar ferimentos, é importante usar os prolongamentos e bases de lançamento que são comercializados com os fogos. / FABIANO NUNES

O representante comercial Carlos Alberto Aparecido de Souza Dias Fiore, de 29 anos, foi preso em flagrante por homicídio doloso, embriaguez ao volante, lesão corporal e trafegar em velocidade incompatível com a via, após se envolver em um acidente de trânsito que matou a comerciante Lilian Maria dos Santos, de 30, no Jardim da Saúde, zona sul, ontem de madrugada.

Lilian estava grávida de sete meses. Mesmo com a gestante morta, médicos do Hospital São Paulo fizeram um parto de urgência. A comerciante deu à luz um menino, que ficou internado algumas horas na UTI neonatal. Segundo parentes de Lilian, a criança morreu ontem à tarde.

A comerciante havia passado o réveillon na casa de um cunhado em Diadema, no ABC, e voltava com a família para casa, no bairro Cidade Júlia, zona sul, quando seu Fiat Idea foi atingido pelo Peugeot dirigido por Fiore no cruzamento das Avenidas Professor Abraão de Morais e Bosque da Saúde, por volta da 1h20. O impacto foi tão grande que o Idea tombou.

Segundo a Polícia Civil, Lilian estava dirigindo o veículo e foi arremessada para fora do carro. Além dela, estavam no carro o marido, Landerson Correa Rodrigues, de 37 anos, a filha do casal, Isabelly Rodrigues dos Santos, de 8, e uma sobrinha. Isabelly também foi levada para o Hospital São Paulo, com dores no corpo. Landerson entrou em estado de choque ao ver a mulher morta. A sobrinha do casal não se feriu.

No carro de Fiore havia latas e garrafas de bebidas alcoólicas. Ele foi levado ao Hospital Santa Cruz, onde, segundo relatório médico, deu entrada "confuso, agitado, com hálito alcoólico e sinais clínicos de embriaguez".

Laudo. O motorista também foi submetido a exame de dosagem alcoólica no Instituto Médico Legal (IML). O laudo confirmou que ele estava embriagado.

A reportagem ligou para a casa de Fiore e uma mulher, que não quis identificar-se, disse que os pais do rapaz não se manifestariam sobre o caso. Na delegacia, Fiore disse que passou o réveillon em casa, na Saúde, e saiu para dar carona a dois amigos, que moram no mesmo bairro. Os amigos estavam no carro e não se feriram no acidente. Fiore foi levado para a carceragem do 26.º DP (Sacomã). Segundo a Polícia Civil, é a segunda vez que ele é detido por dirigir embriagado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.