No fim do ano passado, houve pelo menos três casos de esquecimento de crianças dentro de carros
No fim do ano passado, houve pelo menos três casos de esquecimento de crianças dentro de carros

Menino de 6 anos morre ao ser esquecido no carro pela tia

Abalada, ela contou que esqueceu o sobrinho porque seu filho, que estuda no mesmo local, faltou às aulas nesta sexta-feira, 6

Zuleide de Barros, Especial para o Estado

06 Fevereiro 2015 | 20h34

SANTOS - Um menino de 6 anos morreu nesta sexta-feira, 6, após ser esquecido por mais de 9 horas no interior de um carro no estacionamento de uma escola do Serviço Social da Indústria (Sesi), na Avenida Nossa Senhora de Fátima, em Santos. A criança foi esquecida pela tia, que trabalha no local.

A funcionária chegou às 7 horas no estabelecimento e só se lembrou do sobrinho, que dormia no banco traseiro do carro, um Fiat Doblò, às 16h30, quando já estava próximo do fim do expediente da escola.

Muito abalada, a tia contou à Polícia Civil que o esquecimento aconteceu porque, junto com o sobrinho estudava o seu filho, que nesta sexta não foi à escola. Como o garoto estava sonolento, ela nem se lembrou que ele estava no carro. O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram chamados e constataram a morte por asfixia.

Assim que foram avisados, os pais do menino chegaram rapidamente ao local, onde permaneceram por mais de duas horas prestando informações à polícia. A mãe estava em estado de choque. A ocorrência foi registrada no 5.º DP de Santos.

Outros casos. No fim do ano passado, houve pelo menos três casos desse tipo. Em Belo Horizonte, uma menina de 2 anos foi esquecida pela mãe e morreu depois de ter ficado por cinco horas trancada no veículo, na Pampulha. Em São Bernardo, na Grande São Paulo, uma criança de 2 anos e 4 meses também morreu depois de ser esquecida pelo pai. No Rio, a dona de uma van de transporte escolar foi a um salão fazer as unhas, deixando intencionalmente um menino de 2 anos no veículo.

Mais conteúdo sobre:
Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.