Menino de 15 anos morre após passar mal no Hopi Hari

Estudante teve parada cardíaca na atração Labirinto, que dá sustos nos visitantes em uma sala fechada

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

01 de outubro de 2007 | 12h50

O estudante Arthur Wolf, de 15 anos, morreu depois de passar mal em um brinquedo do parque Hopi Hari, em Vinhedo, no interior de São Paulo. Arthur passou mal por volta das 19 horas de sexta-feira, 28, em uma atração chamada Labirinto, que é uma sala escura com corredores nos quais funcionários fantasiados de monstros dão sustos nos visitantes; pelo ambiente é espalhada fumaça de gelo seco.  O menino foi socorrido ainda consciente, de maca, e levado ao ambulatório do parque por bombeiros que atuam no local. Lá, teve uma parada cardíaca e foi reanimado por um médico. Ele foi levado em seguida para o Hospital Paulo Sacramento, em Jundiaí, onde deu entrada por volta das 20h30 da sexta-feira. Segundo nota divulgada pelo hospital, o adolescente sofreu nova parada cardíaca logo depois de sua chegada e "não foi possível reanimá-lo e o paciente entrou em óbito. Seu corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) local, onde foi constatado preliminarmente morte por edema pulmonar".  Segundo a assessoria do parque, a empresa ajudou a família, principalmente na parte burocrática, durante o fim de semana, e continua em contato para dar apoio à família.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.