Menina fica presa em ônibus atacado e sofre queimadura

Um ônibus foi incendiado na noite de anteontem na frente de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) em Carapicuíba, na Região Metropolitana de São Paulo. Por volta das 20h30, um homem fez sinal para que o veículo parasse e oito bandidos com os rostos cobertos o invadiram com galões de gasolina.

O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2012 | 02h02

Os 15 passageiros começaram a sair pelas janelas. Uma menina de 7 anos não conseguiu escapar a tempo e teve queimaduras de primeiro e segundo graus nas pernas. Um passageiro foi atropelado e o motorista Marcelo de Arruda, agredido com uma coronhada. Segundo o motorista, o fogo começou a pegar na roupa da criança e sua mãe, em pânico, apagou as chamas com a bolsa. "Não queriam dinheiro, não queriam nada. O objetivo deles era queimar o ônibus", disse.

A menina foi levada para o Pronto-Socorro Infantil de Carapicuíba e seu estado é estável.

Segundo o delegado Marcelo José do Prado, o ataque foi uma resposta dos bandidos à atuação no combate ao tráfico de drogas na região.

O delegado disse não ser possível associar o caso à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Foi feito um retrato falado do bandido que fez sinal para o ônibus parar. / JULIANA DEODORO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.