Menina ferida em protesto contra enchentes permanece internada em SP

Moradores de Carapicuíba revoltados com os alagamentos na região e atearam fogo em pneus e móveis

Solange Spigliatti e Priscila Trindade, estadão.com.br

12 Março 2012 | 17h37

SÃO PAULO - A menina de 7 anos ferida na noite deste domingo, 11, durante protesto contra enchentes na Grande São Paulo continua internada na tarde desta segunda-feira, 12.

Moradores do bairro Ariston, em Carapicuíba, ficaram revoltados com os estragos causados pela chuva ontem na Avenida Marginal, com Rua Cadaval, e atearam fogo nos móveis, pneus e pedaços de madeiras.

Com a chegada a Polícia Militar, um homem começou a incitar os manifestantes a jogar objetos contra os policiais. Para conter o tumulto, a PM usou bombas de efeito moral.

A criança foi atingida pelos estilhaços de uma das bombas. Ela foi socorrida e levada para o Hospital Geral de Carapicuíba. Na madrugada, a paciente foi transferida para o Hospital Nossa Senhora de Fátima, em Osasco. De acordo com a unidade, ela teve queimaduras de segundo e terceiro graus nas pernas, além de escoriações. O estado de saúde dela é considerado estável e na terça-feira, 13, ela deve passar por uma cirurgia plástica.

A PM disse que vai apurar o motivo do uso das bombas na operação. O homem que incitou os moradores foi detido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.