Paulo Pinto/AE
Paulo Pinto/AE

Menina encontra PMs que a salvaram

Há um ano e meio no 190, a soldado Elenice Gonçalves Louzada conta que a voz "meio chorosa" da menina também a ajudou a ter plena convicção da existência de uma vítima do outro lado da linha. "Eu achei mesmo, no início, que era um trote. Era 1h30 da manhã e tinha voz de criança", conta. "São muitas ligações iguais à dela, de garotas dizendo estarem sequestradas, mas aí pedi ajuda do meu supervisor e tudo terminou bem."

Camilla Haddad, O Estado de S.Paulo

03 Dezembro 2010 | 00h00

De roupa cor-de-rosa e com o urso de pelúcia nos braços, ontem foi o dia de E. abraçar os dois policiais que a ajudaram e também de dar "bronca" nos meninos e meninas dispostos a mentir no telefone de emergências.

Ao longo do dia, a menina, acompanhada da mãe, a auxiliar de limpeza Viviane Santos, de 36 anos, também atendeu ligações de crianças e até ouviu xingamentos quando tentou contar sua história.

DIÁLOGO

- PM, emergência.

- Eu fui sequestrada.

- Dando trote na polícia a essa hora da madrugada? É brincadeira!

- Tia, não é trote. Eu fui sequestrada.

- Qual é o seu nome? E quem é essa pessoa que te levou "praí"?

- Emily (...)

- Mas ela deixa você sair?

- Não. Por favor, moça, me ajuda, eu não aguento mais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.