Menina é espancada e morre após reagir a tentativa de estupro

O pedreiro Paulo Sérgio Vilas Boas, de 34 anos, tio da vítima, foi preso e vai responder por homicídio doloso

Simone Menocchi, da Agência Estado,

26 de março de 2008 | 17h39

A adolescente L. A. C. M., de 16 anos, morreu na tarde de terça-feira, 25, na região do Vale do Paraíba, depois de ter sido espancada ao reagir a uma tentativa de estupro do próprio tio.   Com traumatismo craniano, fratura nos dentes e hematomas pelo corpo todo, a adolescente, que passou dezessete dias internada, teve falência múltipla dos órgãos. "Ela sofreu muito, acompanhei todo sofrimento da minha sobrinha, que não merecia ser espancada por aquele monstro", contou, indignada, a tia da vítima.   As agressões aconteceram em na noite de 8 de março, dia internacional da Mulher. A jovem voltava de um passeio com as amigas e foi para a casa da avó, como sempre fazia. Segundo uma testemunha, a adolescente começou a brigar com o tio que tentou assediá-la sexualmente. "Uma testemunha revelou que houve sim tentativa de estupro", informou o delegado Rubergil Violante.   "Ele é um homem perigoso, já tinha outras passagens por agressões e chegou a ameaçar os vizinhos se chamassem a polícia", completou o policial. O pedreiro Paulo Sérgio Vilas Boas, de 34 anos, foi preso e vai responder por homicídio doloso, isto é, com intenção de matar.   Durante o enterro, na manhã desta quarta-feira, 26, os pais da vítima clamavam por justiça e chamavam o agressor de "mostro". "Ele dizia que minha filha era a sobrinha preferida. Chegou a servir jantar antes de bater nela. Sempre foi muito violento, mas desta vez, terminou em tragédia", lamentou o pai. A mãe da garota carregava fotos da adolescente e falava dos planos dela para o futuro. "Ela tinha sonhos, como por exemplo, fazer um curso em Campos do Jordão e depois ser cozinheira na Marinha."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.