Menina de 4 anos morre com sinais de tortura e espancamento

Garota foi encontrada pela tia-avó, com quem morava, com o corpo arroxeado dentro do banheiro de casa

Solange Spigliatti, estadao.com.br

06 Abril 2009 | 14h25

A menina Cauany Moreira, de 4 anos, morreu na tarde de domingo no Hospital Iva, na região de Sapopemba, zona leste de São Paulo, após passar mal em casa, na Vila Rica. No hospital foram constatadas marcas de possíveis torturas, como queimaduras, cortes nas articulações dos braços e saliências nas partes genitais, nádegas e cabeça. De acordo com depoimento da tia-avó, as marcas eram de uma micose que estava sendo tratada e os cortes seriam por uso de pulseiras e uma queda.

 

Segundo depoimento da tia-avó, de 48 anos, responsável pela menina, Cauany foi encontrada por volta das 18h45 com o corpo arroxeado, caída no banheiro. Após o jantar, a tia-avó estranhou a demora da menina em sair do banheiro e foi averiguar. Ela tentou reanimar a criança, passando alho no nariz e fazendo respiração artificial. Cauany teria expelido alimentos pelas narinas após a reanimação, segundo a mulher.

 

A mãe da menina, de 23 anos, compareceu ao 41.º Distrito Policial e disse que a tia-avó cuidava da menina desde o nascimento. A mãe teria falado também que era impedida de ver a filha, e que a tia-avó levava Cauany trimestralmente para ver a avó. A criança, segundo o boletim de ocorrência, chegou a morar com a mãe algumas vezes, mas não continuou, segundo a própria mãe, porque atrapalhava seu trabalho.

 

O corpo de Cauany foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para exame necroscópico para confirmar se ela foi vítima de afogamento.

Mais conteúdo sobre:
abuso agressão tortura São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.