Menina atacada por pit bull segue internada

Com mordidas em boa parte do corpo, ela continua no centro cirúrgico e está sedada

25 de agosto de 2007 | 15h53

A menina de 6 anos atacada por um pit bull na sexta-feira, 24, segue internada na Unidade de Terapia Intensiva do Centro Hospitalar de Santo André, no ABC paulista. Com mordidas em boa parte do corpo, ela permaneceu no centro cirúrgico entre 18 horas de sexta, 24, e 1h30 deste sábado, 25. Desde então, está sedada e em situação estável no pós-operatório. Na manhã deste domingo, 26, os médicos voltarão a avaliá-la, segundo a Secretaria de Saúde Municipal.  Por volta das 16h30 de sexta, o cachorro avançou contra a garota e dois aposentados no quintal da casa onde moram, no bairro Valparaíso. Populares presenciaram o caso e acionaram a Polícia Militar (PM). Para socorrer a menina, um policial atirou contra o cão, que morreu. O avô da vítima, de 65 anos, sofreu cortes na cabeça e nas pernas. A tia-avó dela, de 69 anos, teve ferimentos leves. Ambos receberam alta ainda na noite de sexta, 24.

Tudo o que sabemos sobre:
Pitbullataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.