Memórias precoces

Não deve estar muito longe o dia em que, em vez de festa de debutante ou viagem à Disney, todo jovem classe média que chegar aos 15 anos vai pedir de presente aos pais uma biografia. Aquele velho conceito de que é preciso construir uma boa história para só então relatá-la em livro de memórias, já era: na semana que vem - menos de um mês depois de Geisy Arruda, de 21 anos, a loura da Uniban -, o cantor Fiuk, de 20 anos, lança nas livrarias sua trajetória de calças curtas.

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2010 | 00h00

Por mais que a explicação de seu apelido seja uma longa história, peralá, na idade dele, todo ídolo teen cabe folgado numa página de jornal, e olhe lá!

Se essa turma resolver lançar um novo volume atualizado de sua experiência de vida a cada 5 anos, vai ter celebridade chegando à terceira idade com uma obra pessoal tão extensa quanto a Barsa ou a Enciclopédia Britânica.

Ninguém aguenta mais esperar chegar à idade de Ricardo Amaral, outro que acaba de virar capa de livro, para vender suas memórias a uma editora. Melhor para o ex-dono das noites cariocas, que deve estar adorando a experiência de dividir a prateleira das biografias com a garotada.

No exílio

Imagina a cabeça do Imperador Adriano, em Roma, sabendo pela internet que seis tanques de guerra ocuparam a sua Vila Cruzeiro. Agora mesmo que ele não joga no Campeonato Italiano. Quer apostar como vai acabar voltando para o Rio?

Rio 40 graus

Corria ontem na TV Globo o boato de que William Bonner não apresentou o Jornal Nacional nos primeiros dias da semana com medo de sair de casa. A Fátima Bernardes só foi trabalhar porque precisa, coitada!

Expectativa

A lambança tem nova data-base: dia 15 tem prova extra do Enem. Promete!

Custo/benefício

Felipão deu uma resposta à altura aos jornalistas que vivem dizendo que ele ganha muito. O técnico do Palmeiras, como se viu na derrota para o Goiás que eliminou o time paulista da Copa Sul-Americana em pleno Pacaembu, não ganha nada, absolutamente nada. Ninguém merece!

Sem preconceito

Não é de se estranhar a revelada tolerância de Pelé com a prática de um clube premiar jogadores de outro para endurecer partida contra um adversário comum.

O Rei aprova a "mala branca" desde o tempo em que namorava a Xuxa.

Não é nada, não é nada...

Havia um bom motivo para os fogos que pipocaram no fim da noite de quarta-feira na Avenida Paulista! A desclassificação do Palmeiras na Sul-Americana

pode ser a maior alegria do Corinthians no ano de seu centenário.

Sacrifício

Tem brasileiro há meses na fila de espera para comprar um BMW X1 de R$ 190 mil em São Paulo. O dia que os ricos resolverem queimar pneus na Marginal do

Tietê em protesto, duvido que não os atendam rapidinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.