Membro do PP, de Maluf, recebe visita de cortesia

Haddad foi com chefe da transição à casa de secretário-geral do partido, que se disse supreso com 'delicadeza'

O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2012 | 02h04

Ao contrário do PCdoB e do PSB, que foram recebidos pelo prefeito eleito, Fernando Haddad (PT), no escritório da transição, e do PMDB, que terá o mesmo prestigio hoje, o PP, do deputado federal Paulo Maluf, teve seu diálogo com Haddad às escondidas e de forma oficiosa.

O prefeito eleito apareceu ontem pela manhã de surpresa com o coordenador da equipe de transição, Antonio Donato, na casa do secretário-geral do PP, Jesse Ribeiro. Segundo o pepista, Donato havia combinado de tomar um café por lá, mas levou Haddad junto sem avisar. "Para minha surpresa, ele chegou com o prefeito eleito. Eu não sabia."

Protagonista da polêmica foto com Haddad e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos jardins de sua casa, Maluf não participou do encontro, já que estava em Brasília.

"O professor Jesse tem procuração para falar em nome do partido", relativizou Maluf, que disse não ter nenhum encontro programado com Haddad. "No dia em que houver, como no 'casamento' que foi feito na minha casa, com Haddad e com Lula, vocês vão ficar sabendo."

Segundo Jesse, a visita foi uma cortesia e uma forma de Donato e Haddad agradecerem a participação do PP na campanha. "Eles fizeram essa delicadeza, porque tivemos participação ativa na campanha."

O pepista disse que seu partido não pleiteou nenhum espaço específico no governo e, por orientação de Maluf, pediu ao prefeito eleito que tratasse com o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, sobre qualquer tema relativo a uma eventual participação no futuro governo.

Maluf e Aguinaldo estiveram juntos ontem em audiência. O teor da conversa não foi revelado à imprensa.

A assessoria de Haddad chegou a enviar um informe sobre o dia do prefeito eleito, no qual afirmava que o encontro tinha ocorrido na sede da transição. Mas, após contato do Estado questionando as diferentes versões, informou que enviaria novo comunicado, alterando a informação. Donato e Haddad não quiseram comentar o caso. / F.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.