Melhorias no térreo atrasam

A decisão de reformar todo o Palácio Anchieta ocorre com obras ainda inacabadas e atrasadas há mais de um ano no andar térreo e no subsolo do prédio da Câmara.

O Estado de S.Paulo

08 Janeiro 2013 | 02h03

Em 2011, logo após assumir a presidência, José Police Neto (PSD) fez licitação para construir um auditório com cobertura retrátil para 302 pessoas e um conjunto com café e museu na entrada do edifício. A obra, com custo estimado inicialmente em R$ 9,3 milhões, segue atrasada e sem previsão de ser entregue à população.

A promessa na época era de que o auditório estaria apto para receber filmes e peças de teatro e o espaço reformado ainda abrigaria a biblioteca da Casa, que tem um dos acervos mais valiosos da história da cidade. Em outubro do ano passado, em função dos atrasos, a Câmara abriu mão de R$ 13 milhões destinados às obras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.