Mega-Sena da Virada: apostas a partir de 2ª

Quem pensa em mudar de vida em 2011 poderá fazer sua fezinha a partir de segunda-feira. É quando as lotéricas começam a registrar apostas para a Mega da Virada, que poderá pagar até R$ 150 milhões, de acordo com a Caixa Econômica Federal.

Damaris Giuliana, O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2010 | 00h00

A Mega da Virada não acumula - se nenhum apostador acertar as seis dezenas, o prêmio será rateado entre os acertadores da quina ou da quadra. O sorteio será na noite de 31 de dezembro, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e terá transmissão ao vivo pelos canais abertos de TV.

Até ontem, segundo a Caixa, R$ 51,3 milhões já estavam acumulados. O valor é resultado dos 5% retirados de cada sorteio para o último concurso do ano. Até 31 de dezembro, a previsão é de que o valor acumulado chegue a R$ 57 milhões, que serão somados à arrecadação específica do concurso especial.

As apostas serão aceitas até as 14 horas de Brasília do dia 31 - no ano passado, na primeira edição do sorteio, lotéricas de todo o País registraram filas quilométricas no último dia do ano. O valor mínimo do bilhete é de R$ 2 - como os demais jogos.

Sonhos de consumo. Os R$ 150 milhões são suficientes, por exemplo, para viajar pelo menos 6,1 mil vezes para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. O cálculo considera o valor das passagens de ida e volta, com saída de São Paulo, na cabine privada da primeira classe.

Se o ganhador tiver coração generoso e vontade de investir em educação, com apenas 10% do prêmio é possível garantir a formação - do 1.º ano do ensino fundamental à graduação - de 160 brasileiros, considerando dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

Para os aficionados por carros, é possível comprar cerca de 3 mil veículos 1.6 completos - a produção aproximada de dois dias da fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.