Médico é assassinado ao chegar a academia em São Caetano

Ele falava ao celular enquanto saía de sua Pajero; nada foi levado por dupla suspeita

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

25 Março 2014 | 11h18

SÃO PAULO - O médico ortopedista Dárcio Maurício Correia, de 36 anos, foi morto a tiros por volta das 20h de segunda-feira, 25, na Rua Rio de Janeiro, bairro Oswaldo Cruz, em São Caetano do Sul, região metropolitana de São Paulo. Segundo a polícia, ele havia estacionado seu Mitsubishi Pajero branco no local enquanto fala ao celular e preparava-se para entrar na academia, quando foi baleado por dois homens, que fugiram sem levar nada.

Quando a primeira unidade da Polícia Militar chegou até o local, depois dos disparos, o médico já havia sido socorrido. Ele foi levado ao Hospital Municipal de Emergências Albert Sabin, de São Caetano, mas não resistiu.

A Polícia Civil busca por testemunhas do crime. O celular, um rádio Nextel e o carro da vítima foram apreendidos. Devido à falta de informações sobre o que fez com que os criminosos atirassem, o caso foi registrado como homicídio, não como latrocínio (roubo seguido de assassinato).

Em sua página pessoal do Facebook, Correia se apresentava como médico da Seleção Brasileira de Tênis de Mesa e do Hospital São Camilo. A reportagem ainda não conseguiu contato com a Confederação Brasileira de Tênis de Mesa  para obter declarações sobre o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.